Os vidros à mesa na corte oitocentista:
cerimonial e uso. Serviços da coroa e de D. Maria Pia
Maria João Burnay, conservadora da coleção de Vidros

Com o grande incremento da indústria vidreira na segunda metade do século XIX, os serviços de mesa tornaram-se mais completos e adquiriram um estatuto relevante em todo um complexo cerimonial, praticado tanto nas refeições mais intimistas como em jantares solenes e banquetes da corte.

Os serviços de vidro da Casa Real Portuguesa adquiridos desde finais do século XVIII até inícios do século XX,  principalmente a partir do incremento do serviço à russa contemplam uma multiplicidade de peças,  cada qual com a sua função, e que fazem a sua primeira aparição. Ainda nos dias de hoje é possível reconstituir uma mesa da corte portuguesa da segunda metade do século XIX e início do século XX, com todos os seus objetos e em todo o seu esplendor.

Pretende-se revelar algum deste acervo, bem como o seu historial.