Filha de rainha e irmã de dois reis de Portugal, D. Antónia de Bragança (1845-1913) continua a ser, como grande parte dos infantes portugueses, uma figura desconhecida do grande público, em parte devido à sua precoce partida para Sigmaringen, após o seu casamento, aos 16 anos, com o príncipe Leopoldo de Hohenzollern (1835-1905). A ausência do reino de Portugal proporcionou uma troca de correspondência, parte dela inédita, entre a infanta e outros membros desta corte, para além do irmão, o Rei D. Luís. Através dela, é possível conhecer melhor esta figura e distinguir os seus esforços de manutenção de laços de afectividade à corte portuguesa, postos em parte ao serviço da sua própria agenda pessoal.

 Esta conferência é resultante da investigação realizada no âmbito da Acção Integrada Luso-alemã “Redes culturais femininas entre Portugal e a Alemanha”, financiada pelo Serviço Alemão de Intercâmbio académico (DAAD) e pela FCT.

Pedro Urbano

 Concluiu a licenciatura em História na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa em 2001. Em 2006 obteve o grau de mestre pela mesma Universidade com a dissertação A Casa Palmela e o desafio Liberal: estratégias de Afirmação, publicada pela Livros Horizonte em 2008.

Em 2014 obteve o grau de Doutor, também na mesma Universidade, com a tese financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia intitulada Nos Bastidores da Corte: O Rei e a Casa Real na Crise da Monarquia – 1889-1908, trabalho que venceu a 23ª edição do Prémio Victor Sá de História Contemporânea da Universidade do Minho.

É investigador do Instituto de História Contemporânea (UNL) e do Centro de Estudos Clássicos (FLUL). Participou, como bolseiro, em vários projectos de investigação da Universidade Nova de Lisboa, Universidade de Évora e ISCTE, no qual se destaca o Portuguese Women Writers, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. Participou em diversos encontros da COST Action IS0901 Women Writers in History e da COST Action IS1310 Reassembling the Republic of Letters, 1500-1800.

Foi membro da acção integrada Luso-alemã Redes culturais femininas entre Portugal e a Alemanha, financiada pela FCT e participante no projecto Site das Escritoras, financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian.

As suas áreas de investigação têm sido as elites portuguesas durante a Monarquia Constitucional, tendo-se interessado mais recentemente pelo estudo daprodução textual feminina ao longo de todo o século XIX. Apresenta regularmente o resultado das suas investigações em colóquios, quer em Portugal, quer no estrangeiro, tendo publicado vários artigos.

Presentemente, é professor de História de Portugal na Licenciatura de Ensino Báscico na Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich, bem como na Universidade Internacional da Terceira Idade.