Neptuno: a Mitologia Clássica entre Portugal e o Brasil
A passagem da família real portuguesa para o Brasil foi um dos episódios mais marcantes da história nacional. Os dias de partida nem sempre são abençoados pelos deuses, mas há datas que a memória nos permite celebrar. A viagem foi atribulada e recheada de dificuldades, mas os deuses – marinhos conferem proteção aos grandes Homens, permitindo-lhes chegar a bom porto. O regresso à pátria não foi imediato mas novamente foi secundado e protegido pelos poderes do Olimpo. Curiosamente a indústria náutica batizou as embarcações com nomes divinos, a História escreveu as linhas das atribuladas viagens e a os pintores imortalizaram os reis, as rainhas e o seu séquito de deuses nas pinturas murais do Palácio Nacional da Ajuda.
29 de novembro | 11h00
Público – alvo: público em geral (+12 anos)
Duração: 1h30
Dinamização: MITHOS (Professor André Ferreira)
Marcação prévia obrigatória: mithosgrecoromanos@gmail.com

 História entre acervos - Festas na Corte ao tempo da rainha D. Maria Pia*
O Paço Real da Ajuda enquanto cenário de grande parte dos banquetes da Casa Real do século XIX preserva até à data acervos e memórias dignos de nota.
A partir da Sala do Trono, das Salas de Baile e da Sala dos Grandes Jantares do Palácio iremos explicar como estes ambientes se transformavam em Dias de Gala.
A partir de janeiro 2021
Público-alvo: público em geral (+12 anos)
Duração: 30 minutos
Dinamização: Serviço Educativo do Palácio Nacional da Ajuda
Marcação prévia: servicoeducativo@pnajuda.dgpc.pt
*Integra ciclo de conversas intitulado “A História entre acervos” que conta com a participação de especialistas sobre várias temáticas relacionadas com os diversos acervos do Palácio Nacional da Ajuda.

História entre acervos - Menus da Casa Real portuguesa*
Presença assídua nas mesas do Paço Real da Ajuda, assim como de outros paços reais, os menus da Casa Real portuguesa, assumiram de forma constante um lugar de relevo significativo nas artes da mesa. Presentemente enquanto fontes ricas de informação revelam-nos influências gastronómicas e gostos da Família Real.
A partir de fevereiro 2021
Público-alvo: público em geral (+12 anos)
Duração: 30 minutos
Dinamização: Serviço Educativo do Palácio Nacional da Ajuda
Marcação prévia: servicoeducativo@pnajuda.dgpc.pt
*Integra ciclo de conversas intitulado “A História entre acervos” que conta com a participação de especialistas sobre várias temáticas relacionadas com os diversos acervos do Palácio Nacional da Ajuda.

O trono e outro mobiliário de assento no Palácio da Ajuda
A Sala do Trono do Palácio Nacional da Ajuda reabriu ao público, após um largo período de restauro do seu
teto. Para assinalar o momento e dar a conhecer o resultado deste trabalho, iremos realizar um percurso
pelos vários espaços do museu onde poderemos apreciar a diversidade de estilos, funções e simbologia do
mobiliário de assento existente neste palácio, culminando na sala cujo teto voltou a exibir as suas cores
originais de há 200 anos.
A partir de janeiro 2021
Público – alvo: público em geral (+12 anos).
Duração: 1h00
Dinamização: Serviço Educativo do Palácio Nacional da Ajuda
Marcação prévia: servicoeducativo@pnajuda.dgpc.pt

Apolo: os astros na Mitologia Clássica no Palácio da Ajuda*
Há seis mil anos, quando os homens começaram a registar o movimento dos astros, o firmamento estava ainda povoado por deuses e demónios. Os céus eram responsáveis pela miséria e pela prosperidade, pelo dilúvio e pela calmaria, pelo desvario da luta e pela sorte na caça. Urânia, a musa da astronomia. Apolo, o deus da luz solar. Quíron, o centauro convertido em constelação. São apenas alguns dos exemplos desses deuses, monstros e personagens míticas ligadas aos astros que povoam o Palácio Nacional da Ajuda!
23 janeiro 2021 | 11h00
Público – alvo: público em geral (+12 anos)
Duração: 1h30
Dinamização: MITHOS (Professor André Ferreira)
Marcação prévia obrigatória: mithosgrecoromanos@gmail.com
* Integra ciclo de visitas temáticas intitulado “Ciências Naturais num Palácio Real”, onde a Ciência, a História e a Mitologia Clássica serão os vértices deste conhecimento triangular.

O amor no palácio
No século XIX, um casamento real era ainda sinónimo de intricados negócios políticos e diplomáticos. O amor
era relegado para segundo plano e os noivos conheciam-se à distância, através de retratos trazidos por
importantes emissários. Foram disso exemplo os matrimónios celebrados por D. Maria II com D. Fernando de
Saxe-Coburgo e pelo seu filho, D. Luís I com D. Maria Pia, cujos pormenores iremos conhecer melhor ao longo
desta visita pelo Palácio da Ajuda. 
A partir de fevereiro 2021
Público – alvo: público em geral (+12 anos)
Duração: 1h00
Dinamização: Serviço Educativo do Palácio Nacional da Ajuda.
Marcação prévia obrigatória: servicoeducativo@pnajuda.dgpc.pt

De Eros a Afrodite: o amor na mitologia entre reis e rainhas de Portugal
Os deuses que os gregos adoravam e que todos nós conhecemos não surgiram de repente. A história deles vem do princípio do tempo. Num tempo em que, segundo alguns autores, o “mais belo de todos os imortais, aquele que amolece os membros, a que todos os deuses e homens obedecem”. Acompanhado, ou não, pela deusa da beleza, é a divindade olímpica mais representada no Palácio Nacional da Ajuda e o seu poder é infinito. As representações dos deuses do amor na casa real, torna-os cúmplices de uma teia, onde os fios do amor são reis e senhores!
14 fevereiro 2021 | Horário a indicar
Público – alvo: público em geral (+12 anos)
Duração: 1h30
Dinamização: MITHOS (Professor André Ferreira)
Marcação prévia obrigatória: mithosgrecoromanos@gmail.com

 Flora: as mensagens das plantas no Palácio da Ajuda*
A mitologia greco-latina está cheia de exemplos de metamorfoses envolvendo seres e plantas. Estes exemplos chegaram até nós principalmente pela obra Metamorfoses, do poeta latino Ovídio. A transfiguração de Dafne em loureiro a ter de se render aos desejos do deus da música é uma das mais famosas. A ninfa Clóris, a rainha Perséfone, a deusa Atena, o herói Hércules e a cabra Amalteia são alguns das personagens míticas que estão ligadas à energia floral da Terra. Revelar esse jardim olímpico no Palácio Nacional da Ajuda é o mote da segunda visita do ciclo de visitas “Ciências Naturais e os Mitos Clássicos no Palácio Nacional da Ajuda.
20 março 2021 | 11h00
Público – alvo: público em geral (+12 anos)
Duração: 1h30
Dinamização: MITHOS (Professor André Ferreira)
Marcação prévia obrigatória: mithosgrecoromanos@gmail.com
* Integra ciclo de visitas temáticas intitulado “Ciências Naturais num Palácio Real”, onde a Ciência, a História e a Mitologia Clássica serão os vértices deste conhecimento triangular.

 Medusa: os mitos gregos nas rochas do Palácio da Ajuda*
Atenas foi o berço de importantes escultores e pintores. A arte grega é marcada por equilibrio e grande beleza estética e o seu legado multiplicou-se ao longo dos séculos por toda a Europa. As pinturas murais e as esculturas italianas e portuguesas do Palácio Nacional da Ajuda são uma evidência desse poder. Estudar esse legado é...recordar os mitos rochosos de titãs que suportam o céu nos seus ombros, é relembrar o poder petrificante de Medusa, é celebrar os deuses que batizaram um grupo de rochas, é imortalizar a montanha-morada dos deuses.
29 maio 2021 | horário a indicar
Público – alvo: público em geral (+12 anos)
Duração: 1h30
Dinamização: MITHOS (Professor André Ferreira)
Marcação prévia obrigatória: mithosgrecoromanos@gmail.com
* Integra ciclo de visitas temáticas intitulado “Ciências Naturais num Palácio Real”, onde a Ciência, a História e a Mitologia Clássica serão os vértices deste conhecimento triangular.

Animais e seres encantados no Palácio da Ajuda*
A Zoologia apresenta uma infinidade de seres cujo nome científico remete para os mitos clássicos. Mas os elos de ligação entre esta área e a da Biologia não ficam por aqui. Sabia que uma jovem convertida num artrópode permitiu a origem do termo aracnídeo? E sabia que um monstro feminino permitiu batizar o grupo dos cetáceos? Se na genética o termo híbrido é recente...porque será que desde Hesíodo se descrevem seres como os centauros, os tritões, as nereides, os sátiros ou até mesmo os hipocampos? Por que será que nas pinturas murais do Palácio Nacional da Ajuda, o pavão, a águia, o cavalo, o leão e as pombas são os animais mais representados? A Zoologia e os mitos clássicos de mão dada.
17 julho 2021 | Horário a indicar
Público – alvo: público em geral (+12 anos)